sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vigiar e Punir

Cursando psicologia pela Unifesp, tive o prazer de conhecer o trabalho de um filósofo francês de grande renome: Michel Foucault, e sua obra 'Vigiar e Punir'. Pra quem não conhece, o amigo wikipedia diz que: 'É um exame dos mecanismos sociais e teóricos que motivaram das grandes mudanças que se produziram nos sistemas penais ocidentais durante a era moderna.'

O nome da obra já remete ao tipo de análise crítica feita pelo filósofo ao funcionamento do sistema, que na época via as prisões como forma 'humanitária' de se cumprir pena.

Enfim, hoje me deparei com um vídeo que foi a faísca que precisava para que pudesse escrever sobre o tema 'Vigiar e Punir'.



O vídeo mostra policiais agredindo brutalmente um grupo de manifestantes pacíficos. Para quem não entende inglês, o primeiro foi atacado por estar filmando o ocorrido, a segunda pessoa, uma mulher, foi arrastada e detida por vários policiais, e no terceiro caso um policial espirra todo o conteúdo de seu spray de pimenta num grupo de jovens mulheres, que manifestavam pacificamente, como pode-se ver no próprio vídeo.

É lamentável ver até que ponto certos policiais acham que se estende o direito deles de 'punir e controlar'. Cabe aqui ser usada uma citação de uma banda que fala muito sobre o assunto, Planet Hemp, 'querem nos controlar, mas são todos descontrolados'.

Vigiar e punir é o papel deles, mas quem os vigia? Até que ponto eles tem direito de abusar desse poder impunemente?

Infelizmente o sistema que julga os militares é falho, como o próprio repórter afirma que também acontece nos Estados Unidos, esse tipo de abuso passa despercebido todos os dias, em nossas ruas, e não nos sentimos lesados até sermos afetados diretamente por essa covardia.

Somos vigiados, todos os dias, por pessoas que se vêem no direito de julgar nossas atitudes, não só visando o cumprimento da lei, mas visando principalmente o cumprimento do 'direito de exercer seu poder'. O suposto direito de se sentir superior à alguém apenas pelo fato de carregar um distintivo.

Até que ponto podemos ser vigiados?
Quando vão perceber que punir não resolve os problemas?

Há um problema sócio-cultural muito maior envolvido na criminalidade e no descumprimento das normas da nossa constituição, e não vai ser vigiando e punindo que esses problemas serão resolvidos, e sim educando.

No Brasil são gastos dezenas de milhões de reais em armamento e verba pra policiamento de várias cidades. Por que não investir esse dinheiro na educação? Assim as crianças das favelas verão outra alternativa que não o tráfico e o crime.

'Ninguém prepara o jovem, nem os pais nem a TV, pra botar o pé na estrada e não se perder.
Ninguém prepara o jovem pra saber o que fazer quando bater na porta e ninguém atender.
Ninguém me dá a chave pra abrir a porta certa, mas a porta errada eu encontro sempre aberta!
Entrar numa roubada é mais fácil que sair.Tem alguém aí? (...)' 
Gabriel, o Pensador

Um comentário:

  1. Olá,nossa adoro esse blog,só tem artigo bom,sempre que dá estou passando aqui,depois que meu amigo me recomendo nunca mais deixei de visitar,alguem sabe me falar se assim aqui é bom www.softwarecelularespiao.org ? abraços,assim que der eu volto pra comentar aqui no blog

    ResponderExcluir